INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS INFORMAIS NO ENSINO DE LINGUAGENS

Rafael Sarto MULLER

Resumo


As intervenções pedagógicas informais são tratadas nesta pesquisa como aquelas realizadas durante interações professor-aluno que visam explorar as potencialidades do vínculo criado entre esses indivíduos e fomentar a significação reflexiva das suas experiências enquanto sujeitos. Estruturadas sobre o discurso docente, o espaço curricular ocupado pelas Linguagens configura-se como natural para a sua ocorrência. Usando do método da observação, foram registrados textos dos discursos usados por professores de ensino médio da área de linguagens – Português, Produção Textual e Literatura – em uma escola particular de Belo Horizonte-MG, quando realizando tais intervenções. Os resultados foram organizados em seis categorias principais, as quais se referem aos elementos das experiências trabalhadas nas intervenções realizadas: a) autonomia do sujeito e sujeito-aluno; b) a Instituição escola; c) processos avaliativos; d) sala de aula e condução do processo ensino-aprendizagem; e) reflexão sobre o sujeito-professor; e f) autorregulação da aprendizagem. Concluiu-se que: a) tais intervenções são determinantes para caracterizar a proposta pedagógica usada em sala pelo professor; b) quando usadas dentro de um contexto institucional com proposta diversa, podem ser caracterizadas como transgressões criativas; c) o discurso usado nessas intervenções tem alto caráter expressivo, usando frequentemente de figuras de linguagem e estando, portanto, intimamente ligado à área das linguagens.


Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, Miguel G. Currículo, território em disputa. Petrópolis: Vozes, 2013.

BZUNECK, José Aloyseo; GUIMARÃES, Sueli Édi Rufini. A promoção da autonomia como estratégia motivacional na escola: uma análise teórica e empírica. In: BORUCHOVITCH, Evely; BZUNECK, José Aloyseo; GUIMARÃES, Sueli Édi Rufini. Motivação para aprender. Petrópolis: Vozes, 2010.

CARVALHO, Isabela Bastos de; CASTRO, Alexandre de Carvalho. Currículo, Racismo e o Ensino de Língua Portuguesa: as relações étnico-raciais na educação e na sociedade. Educação & Sociedade, v. 38, n. 138, p. 133–151, 2017. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

CERQUEIRA, Cezar Augusto; SAWYER, Diana Reiko Oya Tutya. Tipologia dos estabelecimentos escolares brasileiros. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 24, n. 1, p. 53–67, 2007. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

COSME, Ariana; TRINDADE, Rui. Aprender a aprender na escola. Pinhais: Melo, 2011.

DOMINGUES, Karen Geisel; ALMEIDA, Inês Maria Zanforlin Pires de; CERQUEIRA, Teresa Cristina Siqueira. Transgressão e criatividade em sala de aula. Estilos da Clínica, v. 18, n. 2, p. 387–402, 2013. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

FERREIRA, Luciene Braz; TORRECILHA, Nara; MACHADO, Samara Haddad Simões. A técnica de observação em estudos de administração. XXXVI Encontro da ANPAD, Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

GAUTÉRIO, Vanda Leci Bueno; RODRIGUES, Sheyla Costa, Os Ambientes de Aprendizagem possibilitando transformações no ensinar e no aprender. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 94, n. 237, p. 603–618, 2013. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

GONZALEZ, Rodrigo Valio Dominguez; MARTINS, Manoel Fernando. O Processo de Gestão do Conhecimento: uma pesquisa teórico-conceitual. Gestão & Produção, v. 24, n. 2, p. 248–265, 2017. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

HADJI, Charles. Ajudar os alunos a fazer a autorregulação da sua aprendizagem. Pinhais: Melo, 2011.

JANNUZZI, Celeste Sirotheau Corrêa; FALSARELLA, Orandi Mina; SUGAHARA, Cibele Roberta. Gestão do conhecimento: um estudo de modelos e sua relação com a inovação nas organizações. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 21, n. 1, p. 97–118, 2016. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

JOCA, Sâmia Regiane L.; PADOVAN, Cláudia Maria; GUIMARÃES, Francisco Silveira. Estresse, depressão e hipocampo. Brazilian Journal of Psychiatry, v. 25, p. 46–51, 2003. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

PIMENTEL, Alamo. Currículo e formação sob as ascendências do sul. In: MACEDO, Roberto Sidnei Alves. Currículo e processos formativos: experiências, saberes e culturas. Salvador: EDUFBA, 2012. Disponível em: . Acesso em: 11 maio 2019.

MARTIN, Garry; PEAR, Joseph. Modificação de comportamento. São Paulo: Roca, 2015.

MARTINS, Angela Maria. Autonomia e educação: a trajetória de um conceito. Cadernos de Pesquisa, n. 115, p. 207–232, 2002. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

MORETTO, Vasco Pedro. Planejamento. Petrópolis: Vozes, 2018.

PANTANO, Telma; ZORZI, Jaime Luiz. Neurociência aplicada à aprendizagem. São José dos Campos: Pulso, 2009.

PERES, Cristiane Martins; VIEIRA, Marta Neves Campanelli Marçal; ALTAFIM, Elisa Rachel Pisani; et al. Abordagens pedagógicas e sua relação com as teorias de aprendizagem. Medicina (Ribeirao Preto. Online), v. 47, n. 3, p. 249–255, 2014. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

POPADIUK, Silvio; SANTOS, André Eduardo Miranda Dos. Conhecimentos tácito, explícito e cultural no planejamento da demanda. JISTEM - Journal of Information Systems and Technology Management, v. 7, n. 1, p. 205–226, 2010. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A difícil democracia. São Paulo: Boitempo, 2016.

SCHOEN-FERREIRA, Teresa Helena; AZNAR-FARIAS, Maria; SILVARES, Edwiges Ferreira de Mattos. A construção da identidade em adolescentes: um estudo exploratório. Estudos de Psicologia (Natal), v. 8, n. 1, p. 107–115, 2003. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

SILVA, Sergio Luis da. Gestão do conhecimento: uma revisão crítica orientada pela abordagem da criação do conhecimento. Ciência da Informação, v. 33, n. 2, p. 143–151, 2004. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

SOUZA-TALARICO, Juliana Nery de; CARAMELLI, Paulo; NITRINI, Ricardo; et al. Efeito dos níveis de cortisol no desempenho da memória operacional de idosos com doença de Alzheimer. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, v. 66, n. 3b, p. 619–624, 2008. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.

ZAVERUCHA, Jorge. De FHC a Lula: a militarização da Agência Brasileira de Inteligência. Revista de Sociologia e Política, v. 16, n. 31, p. 177–195, 2008. Disponível em: . Acesso em 9 ago 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

 

revista Linguasagem

ISSN: 1983 -6988